Saúde

Osteoartrite

@pixabay_congerdesign
@pixabay_congerdesign

Este conteúdo é uma informação do Instituto Nacional de Envelhecimento (NIA) dos Estados Unidos (Institutos Nacionais de Saúde Norte-Americano)  

Todos os esforços foram empregados para garantir a precisão e atualidade dessas informações. 

Guia da 3ª Idade lembra a necessidade de sempre consultar o médico, antes de qualquer decisão sobre a sua saúde.  

Outras informações nos Estados Unidos sobre tratamentos para a osteoartrite podem ser obtidas nos endereços: 

 

Instituto Nacional de Artrite e Doenças Musculosqueléticas e de Pele 

niamsinfo@mail.nih.gov 

www.niams.nih.gov 

A missão do Instituto Nacional de Artrite e Doenças Musculosqueléticas e de Pele é apoiar a pesquisa sobre as causas, tratamento e prevenção de artrite e doenças osteomusculares e de pele; o treinamento de cientistas básicos e clínicos para realizar esta pesquisa; e a disseminação de informações sobre o progresso da pesquisa nessas doenças. 

 

Centro Nacional de Saúde Integrativa e Complementar 

info@nccih.nih.gov 

www.nccih.nih.gov 

O Centro Nacional de Saúde Integrativa e Complementar (NCCIH), parte dos Institutos Nacionais de Saúde, é a principal agência do Governo Federal dos Estados Unidos para pesquisas científicas sobre os diversos sistemas, práticas e produtos médicos e de saúde, que geralmente não são considerados parte da medicina convencional. 

O NCCIH era conhecido anteriormente como o Centro Nacional de Medicina Alternativa e Complementar. 

 

US Food and Drug Administration 

www.fda.gov  

A Food and Drug Administration é responsável nos Estados Unidos por proteger a saúde pública, garantindo a segurança e a eficácia de medicamentos para uso humano e veterinário, produtos biológicos e dispositivos médicos; e garantindo a segurança do suprimento de alimentos, cosméticos e produtos de que emitem radiação. 

 

osteoartrite é a forma mais comum de artrite e é uma das causas mais frequentes de incapacidade física entre os idosos. 

A doença afeta homens e mulheres. Antes dos 45 anos ela ela  é mais comum em homens  Após os 45 anos a osteoartrite é mais comum em mulheres. 

osteoartrite ocorre quando a cartilagem, o tecido que amortece as extremidades dos ossos nas articulações, se decompõe e se desgasta. Em alguns casos, toda a cartilagem pode se desgastar, deixando ossos que se atritam um contra o outro. 

 

Sintomas de osteoartrite 

Os sintomas variam de rigidez e dor leve que vai e vem a dores articulares graves. 

Sinais comuns incluem dor nas articulações, inchaço e sensibilidade; rigidez depois de sair da cama; e uma sensação de esmagamento ou som do osso esfregando no osso. Nem todo mundo com osteoartrite sente dor. 

osteoartrite afeta mais comumente as mãos, a região lombar, o pescoço e as articulações de sustentação de peso, como joelhos, quadris e pés. 

 A osteoartrite afeta apenas as articulações, não afeta os órgãos internos. 

 

Mãos 

osteoartrite das mãos parece ocorrer em famílias. Se sua mãe ou avó tiver ou tiver osteoartrite nas mãos, você também corre um risco maior que a média. 

As mulheres são mais propensas do que os homens a ter osteoartrite nas mãos. 

Para a maioria das mulheres, ela se desenvolve após a menopausa. 

Quando a osteoartrite envolve as mãos, pequenos botões ósseos podem aparecer nas articulações das extremidades (as mais próximas das unhas) dos dedos. Eles são chamados de nós de Heberden (HEBerr-denz). Botões semelhantes, chamados nós de Bouchard (boo-SHARDZ), podem aparecer nas articulações médias dos dedos. Os dedos podem ficar inchados e retorcidos, e podem doer ou ficar rígidos e dormentes. A base da articulação do polegar também é comumente afetada por osteoartrite. 

Joelhos 

Os joelhos estão entre as articulações mais comumente afetadas pela osteoartrite. Os sintomas da osteoartrite do joelho incluem rigidez, inchaço e dor, o que dificulta a caminhada, subir escadas, sentar   entrar na   banheira.  

Osteoartrite nos joelhos pode levar à incapacidade. 

 

Quadril 

Os quadris também são locais comuns de osteoartrite. Como na osteoartrite do joelho, os sintomas da osteoartrite do quadril incluem dor e rigidez da própria articulação.  

Mas às vezes a dor é sentida na virilha, na parte interna da coxa, nas nádegas ou até nos joelhos.  

osteoartrite do quadril pode limitar o movimento e a flexão, tornando as atividades diárias como vestir e calçar um desafio. 

 

Coluna 

osteoartrite da coluna vertebral pode aparecer como rigidez e dor no pescoço ou na região lombar. 

 Em alguns casos, as alterações relacionadas à artrite na coluna vertebral podem causar pressão nos nervos da coluna vertebral, resultando em fraqueza, formigamento ou dormência nos braços e pernas. 

 Em casos graves, isso pode até afetar a função da bexiga e do intestino. 

 

 

 

Causas e fatores de risco 

Os pesquisadores suspeitam que a osteoartrite é causada por uma combinação de fatores no corpo e no meio ambiente. A chance de desenvolver osteoartrite aumenta com a idade. 

Submeter uma articulação a muito esforço ou que tenha sofrido algum dano ou posições inadequadas e excesso de peso pode contribuir para o desenvolvimento de osteoartrite. 

 

Diagnóstico  

Para fazer um diagnóstico de osteoartrite, a maioria dos médicos usa uma combinação de métodos e testes, incluindo histórico médico, exame físico, raios-x e exames laboratoriais. 

Objetivos do tratamento: gerenciar a dor e melhorar a função 

Os planos de tratamento para osteoartrite geralmente incluem exercícios, repouso e cuidados com as articulações, alívio da dor, controle de peso, medicamentos, cirurgia e abordagens complementares. 

 Os tratamentos atuais para osteoartrite podem aliviar sintomas como dor e incapacidade, mas ainda não existem tratamentos que possam curar a doença. 

Embora os médicos possam prescrever ou recomendar tratamentos, a verdadeira chave para se viver bem com a doença é você. 

 Pesquisas mostram que pessoas com osteoartrite que participam de seus próprios cuidados relatam menos dor e fazem menos consultas médicas.  

Elas também desfrutam de uma melhor qualidade de vida. 

Fonte: www.nia.nih.gov