Saúde

Holanda: Envelhecimento Saudável

© deposiphoto/bloodua
© deposiphoto/bloodua

Em 2016, a Holanda foi eleita, pela sexta vez, o país com o melhor sistema de saúda da Europa, segundo o Euro Health Consumer Index. O resultado vem de princípios fundamentais trabalhados pelo governo, que são o acesso à saúde para todos os holandeses, responsabilidade por parte dos seguros médicos e serviços de saúde de alta qualidade também para todos. Prevenção, Cuidado dos Idosos e Inovação são o tripé de sustentação dos projetos desenvolvidos no país e são o foco de políticas públicas.

Prevenção, Cuidado dos Idosos e Inovação

Um levantamento feito pela Unicef em 2013 apontou que as crianças holandesas são as mais felizes do planeta. E é nessa fase da vida que os holandeses acreditam ser o começo do envelhecimento saudável. No país, é a partir dos 65 anos que uma pessoa é considerada idosa. Em 2015, a expectativa de vida era de 78,1 anos. Desse total, 80% vivem de forma praticamente independente.

A ONG Help Age também fez um levantamento em 2015, que destacou alguns indicadores ligados ao envelhecimento saudável holandês: empregabilidade (muitos idosos ainda trabalham), relações sociais (a maioria tem parentes ou amigos com quem contar), segurança no bairro em que moram, satisfação com a liberdade de escolha em suas vidas, sistema público de qualidade. Quase 100% sentem que a vida tem sentido.

© deposiphoto/kruwt
© deposiphoto/kruwt

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Holanda é o único país da União Europeia que não tende a ver suas taxas de obesidade crescer nos próximos 15 anos. Um dos motivos que contribuem com isso é a facilidade de locomoção com bicicletas.

Programa Nacional de Prevenção – Programas que estimulam políticas de saúde e promovem movimentos sociais. O Tudo é Saúde, por exemplo, existe há dois anos e promove a saúde em primeiro lugar: no trabalho, na escola, em casa e no próprio bairro.

O esporte também é um dos alvos de investimento no país no que diz respeito à prevenção. Um dos exemplos está na instalação dos Campos de Cruyff, um projeto iniciado pela fundação do jogador de futebol Johan Cruyff, o maior jogador holandês. O objetivo é promover esportes para crianças de classes sociais menos privilegiadas.

Ainda em Prevenção, está o projeto Rede de Envelhecimento Saudável do Norte da Holanda, que conecta governos, empresas, universidades, institutos de pesquisa e institutos de saúde das três províncias do norte da Holanda, e incentiva a criação de produtos, serviços e conceitos inovadores que contribuem para prevenção, novas curas, melhor atendimento da saúde e autogestão de idosos.

Cuidado com os Idosos – Lei de Cuidado de Longo Prazo criada em 2015 é criada para gerenciar pedidos de suporte à população, levanta o perfil do cidadão e também quais são as áreas em que ele precisa de apoio. Após um processo, ele pode escolher os cuidados de  homecare ou ir para uma instituição de longa permanência. O idoso tem o suporte da família, mas ele mesmo decide para onde quer ir.

Entre 2008 e 2016, foram criados oito Centros Médicos Universitários, que lideraram 75 projetos de cooperação com a participação de 38 mil idosos, 1000 médicos e 650 organizações regionais – públicas e privadas -, cujos objetivos eram o cuidado com os idosos e o de reorganizar a saúde e o bem-estar, desde a prevenção até o tratamento médico. Um dos resultados foi a redução de 36% no número de mortes, nos primeiros trinta dias depois da internação, além de uma economia anual expressiva.

Outro case de sucesso é a Vila da Demência (Hogeweyk), que conta com 152 residentes que vivem em casas diferenciadas pelo próprio estilo de vida que têm. Os moradores contam com assistência de equipe permanente de funcionários, porém, eles têm autonomia para fazer comprar no supermercado do bairro, por exemplo. Eles têm privacidade e o máximo de autonomia possível. A vila tem ruas, praças, jardins e um parque onde os moradores podem andar com segurança, além de frequentar o restaurante, o bar e o teatro locais.

O foco Cuidado com o Idoso engloba ainda uma rede nacional de prestadores de saúde que se especializaram no tratamento e gestão de pacientes com a doença de Parkinson. Três mil prestadores de saúde, como neurologistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e enfermeiros etc. compõem a rede, que é dividida em regiões centradas em torno dos hospitais regionais.

Ainda em 2016, a Universidade de Ciências Aplicadas de Utrecht co-criou um manual para promover habilidades de autogerenciamento para idosos. Alimentação saudável, exercício físico e participação social são algumas das premissas do manual, cujo público-alvo são enfermeiras e outros tipos de cuidadores de idosos, estudantes, familiares e os próprios idosos. Financiado por um programa de saúde da União Europeia chamado Envelhecimento Saudável, o manual conta com suporte da internet e da comunidade.

Educação, Pesquisa e Inovação

O último item dos valores essenciais é composto por três pilares fundamentais: Educação, Pesquisa e Inovação. Em Educação buscou-se educar e qualificar profissionais para que administrem questões importantes na área de saúde e de envelhecimento saudável. Esses profissionais estão por toda a Holanda e possuem bacharelados e mestrados no tema envelhecimento saudável. Em Pesquisa, foi criada em 2015 a Sociedade Holandesa para a Pesquisa sobre o Envelhecimento, que alia esforços de inúmeras entidades, como a Universidade de Leiden, Roterdã, Amsterdã,  Groningen e Wageningen, cada uma com expertise diferente em estudos ligados ao envelhecimento.

© iStock/Narvikk
© iStock/Narvikk

O quesito Inovação tem seu exemplo na atuação de uma organização que começou já em 2007, com uma equipe de 4 enfermeiros e, em 2016, passou a 10 mil, todos divididos em cerca de 850 equipes. Com esse projeto, problemas graves passaram a ser identificados com antecedência. A organização foi escolhida quatro vezes o melhor empregador na Holanda, e desde 2015 a organização tem cobertura com todos os planos da saúde da Holanda.

Para finalizar, um dos projetos que mostram a efetividade do uso da tecnologia no sentido de melhorar a vida de idosos, foi o desenvolvimento de um projeto voltado especialmente para pessoas que têm demência. Mediante interação com imagens projetadas em uma mesa, eles passam a apresentar melhoras altamente expressivas. Para chegar a esse resultado, parcerias público-privadas trabalharam em conjunto, sinônimo de um formato de cocriação.

Brasil X Holanda

© dmbaker
© dmbaker

Diante das inovações tecnológicas e sociais desenvolvidas na Holanda, o país busca cooperação internacional. Por isso, já existem inúmeras parcerias entre a Holanda e o Brasil na área da saúde e de envelhecimento saudável. Um exemplo é que cerca de 1.500 brasileiros já estudaram na Holanda, sendo que 1/3 deles optou por estudos relacionados à saúde. Em 2016, um total de 15 líderes do setor de saúde do Estado de São Paulo visitou o país. A Universidade de Groningen é um modelo de parceria, já que tem uma cooperação com o Hospital das Clinicas da USP (HCFMUSP), em Medicina Nuclear.

*Nico Schiettekatte – Cônsul para Inovação, Tecnologia e Ciências da Holanda.

Sobre o autor

guiada3aidade

Tudo para 3a Idade em um único lugar. Saúde, Finanças, Geração 50+, Entretenimento e Diversão, Moradia, Agenda, Produtos, Guia de Viagem e muito mais.