Saúde

Fio dental é essencial para higiene bucal mais eficaz

© Andres Rodriguez
© Andres Rodriguez

É de conhecimento geral que, para prevenir cáries e as doenças da gengiva, é necessário associar a limpeza dos dentes e língua a uma dieta saudável. E, de forma incontestável, para uma adequada higiene bucal faz-se necessário o uso da escova dental. Entretanto, por melhor que esta seja utilizada, a escova dental não é capaz de limpar as superfícies entre os dentes satisfatoriamente, necessitando de dispositivos adicionais, como fio/fita dental e escova interdental para a limpeza mais eficaz.

Existe uma variedade de modelos de escovas dentais, sejam manuais ou elétricas, diferentes tipos de fio/fita dental, bem como de escovas interdentais e intrasulculares. A grande oferta, em alguns casos, resulta em dúvidas por parte do paciente em relação à eficácia e eficiência destes métodos, estejam eles isolados ou associados.

Nesse caso, como cirurgiã-dentista e periodontista, considero de extrema importância reafirmar que uma higiene bucal adequada só será possível com o uso associado e correto, da escova dental e do fio/fita dental. De modo geral, essa escovação com uso associado de dispositivo adicional, pelo menos duas vezes ao dia, é o que recomendam os dentistas – seguindo, inclusive, orientações gerais do Ministério da Saúde –, e a literatura demonstra que o uso do fio dental é, de fato, eficaz na limpeza interdental.

Vale, no entanto, atenção a um ponto: a habilidade, a motricidade e a motivação do usuário do fio dental interfere diretamente na eficácia do mesmo durante a higiene bucal. Talvez por isso, estudos que avaliaram a adesão de pacientes ao uso do fio dental, revelaram que o uso diário do fio dental variou de 2 a 49%, deixando uma margem de outros 50% dos pacientes que não utilizam o dispositivo.

Paralelamente, vem crescendo a adesão do uso das escovas interdentais, para a limpeza interproximal dos dentes, por ser este um instrumento menos dependente da habilidade do paciente, em executar as manobras de higiene bucal. É importante salientar que as escovas interdentais, apesar de serem comercialmente disponibilizadas em diferentes diâmetros, elas são inseridas onde há espaços entre os dentes, precisando, portanto, de indicação personalizada.

Portanto, fio dental e escovas interdentais tem indicações complementares, mas um tanto quanto diferentes. Cabe uma reflexão do profissional quanto à melhor indicação para seu paciente, e cada caso deve ser avaliado unicamente. Pacientes que apresentam espaços entre os dentes podem se beneficiar das escovas interdentais para prevenir inflamação da gengiva, enquanto o fio dental, com uso orientado e personalizado para as necessidades de cada indivíduo, continua sendo o melhor método para prevenir cárie interdental.

*Profa. Dra. Daiane Peruzzo (Especialista em Periodontia – UFRGS Mestre, Doutora em Periodontia pela FOP-UNICAMP e Professora de Periodontia da Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic)

Sobre o autor

guiada3aidade

Tudo para 3a Idade em um único lugar. Saúde, Finanças, Geração 50+, Entretenimento e Diversão, Moradia, Agenda, Produtos, Guia de Viagem e muito mais.